Agenda Municipal / Teatro AirBNB e Nuvens + Wake-Up

Adia -do
Programa Casa das Artes | Poética da Palavra | Encontros de Teatro (Capítulo 3)

Bilhete único
Entrada: 6 euros. Estudantes, Cartão Quadrilátero Cultural e Seniores (a partir de 65 anos): 3 Euros
 
AirBNB e Nuvens (Estreia)
Coprodução: A Turma, Casa das Artes de Vila Nova de Famalicão, Teatro Virgínia, Teatro Nacional São João
Casa das Artes | Grande Auditório - 19h30

Uma rádio-novela com texto de Luísa Costa Gomes - Encenação de Manuel Tur e Interpretação de Diana Sá, Eduardo Breda, João Castro, Pedro Almendra e Teresa Arcanjo | Classificação: M/12 | Duração: 70 min
Em “Airbnb e Nuvens” Manuel Tur entrega-se a uma íntima reflexão sobre o processo de comunicação e expõe em palco a mecânica da comunicação radiofónica, os seus artifícios, recursos e métodos. Mais importante do que a exposição que se queira levar a cena, de tudo quanto aí venha a acontecer, interessa, acima do mais, dar a ouvir, simples e ludicamente, por puro prazer. Transmitir esse gozo que é, na verdade, a génese da rádio. Uma “rádio-novela” sobre um país falido, alugado e com a mania das grandezas (sim, Portugal), escrita pela mão sarcástica de Luísa Costa Gomes.


Wake-up
Coprodução Casa das Artes de Vila Nova de Famalicão, Teatro Nacional São João, Teatro Virgínia

Casa das Artes | Grande Auditório - 21h00
Tradução: Luís Mestre | Interpretação: António Afonso Parra | Encenação: António Afonso Parra, Luís Araújo | Produção: A Turma | Classificação: M/16 | Duração: 60 min

A partir de Wake Up And Smell The Coffee de Eric Bogosian, uma cocriação de António Afonso Parra & Luís Araújo . WAKE UP é um trabalho de reescrita e adaptação do texto “Wake Up And Smell The Coffee” do Eric Bogosian. Este monólogo, primeira criação assinada por António Parra, cruza a linguagem dos dois criadores com a escrita cáustica e lancinante de Bogosian diluindo a fronteira entre teatro e stand-up, entre intérprete e público e ator e personagem. Nesta reescrita aponta-se o foco ao público: a sede de sucesso, a ansiedade que isso provoca, a espiritualidade pop, o caos e a alienação da vida pós-moderna. Uma sucessão vertiginosa de personagens moralmente questionáveis e à deriva entre a conformidade e a hipocrisia procuram desesperadamente capitalizar a dor, a miséria e o desastre.

1094 leituras