Juventude Festival de Cinema Jovem de Famalicão com inscrições abertas até 7 de outubroAtualidade Mercado Artesanal - Anima-te 2021Economia Aposta de crescimento da Pafil faz-se em FamalicãoEducação Biblioteca Municipal e Associação EDUPA criam parceriaEducação Secretário de Estado da Educação no Ciclo de Conferências de FamalicãoDesporto Piscinas Municipais retomam horários dos serviços de regime livre e escolas de nataçãoAmbiente Cortes no abastecimento de águaCultura e Turismo Famalicenses assistiram a mais de 50 horas de programação cultural online Economia Serviço de entrega de refeições representou volume de negócios de um milhão de eurosFreguesias União das freguesias de Seide em ritmo de obrasCultura e Turismo Famalicão dá pontapé de saída para a 7.ª edição do YmotionAmbiente Pateiras de Fradelos não avançam para Paisagem ProtegidaAtualidade Loja do Cidadão de Famalicão vai ser uma realidade Freguesias Zona central de Gavião ganha nova imagem com requalificação do adro da IgrejaEducação Universidade do Minho consolida-se em FamalicãoCultura e Turismo Miguel Araújo e Zé Amaro nas Antoninas possíveisEducação Conferência "Ensino Profissional: Uma Opção de Futuro"Cultura e Turismo Rojões são a iguaria eleita para os próximos Dias à MesaAtualidade Câmara de Famalicão abre candidaturas aos Selos Visão’25Cultura e Turismo O “Discurso Silencioso” de Jorge Pinheiro na Ala da FrenteCultura e Turismo Candidaturas ao Prémio de História Alberto Sampaio decorrem até 31 de maio
O SEU LUGAR

Residentes / Urbanismo
Gestão Urbanística

Licenciamento de Atividades

Selecione uma opção

Licenciamento Zero

Com a publicação do Decreto-Lei n.º 48/2011 de 1 de Abril, no âmbito da iniciativa “Licenciamento Zero”, é simplificado o regime de acesso e de exercício de diversas atividades económicas, eliminando a necessidade da obtenção de licenças, autorizações, vistorias e outros condicionalismos necessários relativos às atividades e aumentando a responsabilização dos empresários.

Deste modo, é permitido às empresas, depois de cumpridas todas as formalidades junto da câmara municipal em sede do Regime Jurídico de Urbanização e Edificação, iniciarem a sua atividade mais rapidamente, mediante o preenchimento de uma declaração.

Todo o processo deve ser efetuado através da plataforma eletrónica nacional "Balcão do Empreendedor" ou os interessados podem fazer a apresentação das declarações junto da Câmara Municipal.

Quais as entidades responsáveis?

Compete à Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) fiscalizar o cumprimento das regras estabelecidas no Decreto-Lei n.º 48/2011 de 1 de Abril, sem prejuízo das competências próprias do município no âmbito do RJUE e dos espaços públicos e de outras entidades estabelecidas na lei.

Qual o procedimento?

A mera comunicação prévia (instalação, modificação e encerramento de estabelecimentos) consiste numa declaração efetuada pelo interessado que deverá ser entregue na Câmara Municipal.
Quando são cumpridos todos os requisitos legais e regulamentares, o requerente efetua este procedimento paga as taxas, e pode dar início ao exercício da atividade. Os comprovativos de entrega dos elementos e o do pagamento das respetivas taxas, servem de título válido, devendo apresentar-se em caso de fiscalização.
Este tipo de procedimento aplica-se aos estabelecimentos onde são exercidas atividades de restauração e bebidas, comércio de bens, prestação de serviços ou de armazenagem.

Tipos de mera comunicação prévia

_ Mera comunicação prévia - instalação de estabelecimentos
Este procedimento permite ao interessado, mediante declaração e desde que se mostrem cumpridos todos os requisitos     legais e regulamentares aplicáveis, proceder à abertura de um estabelecimento, após o pagamento das respetivas taxas e     inscrição no cadastro comercial para as atividades económicas.

_ Mera comunicação prévia - modificação de estabelecimentos
Este procedimento permite que o interessado comunique a alteração do ramo de negócio, titular de exploração, mudança     do nome ou insígnia, entre outras modificações, que deverá comunicar no prazo máximo de 60 dias após a sua                     ocorrência.

 _ Mera comunicação prévia - encerramento de estabelecimentos
Quando o interessado pretender encerrar o estabelecimento ou atividade, deve comunica-lo no prazo máximo de 60 dias     após a sua ocorrência.

_ Mera comunicação prévia – horário de funcionamento (comunicação ou alteração)
Logo que apresentado o requerimento e pagas as respetivas taxas, o requerente pode praticar imediatamente o novo             horário.

_ Mera comunicação prévia – Ocupação do espaço público
Logo que apresentado o requerimento e pagas as respetivas taxas, o requerente pode instalar o equipamento.


A comunicação prévia com prazo (instalação com dispensa de requisitos e prestação de serviços de restauração ou de bebidas com carácter não sedentário) consiste numa declaração que só permite ao interessado iniciar a atividade, após a decisão de deferimento emitida pela Câmara Municipal ou quando esta não se pronuncie, após o decurso de 20 dias, a contar do pagamento das taxas respetivas. O comprovativo da entrega da comunicação, acompanhado do comprovativo do pagamento das taxas, quando devidas, servem de título válido, devendo apresentar-se em situação de fiscalização.

Tipos de comunicação prévia com prazo

_ Comunicação prévia com prazo - Instalação com dispensa de requisitos
Ficam sujeitos a este regime, os estabelecimentos onde são exercidas atividades de restauração e bebidas, comércio de bens, prestação de serviços ou de armazenagem que dependam de dispensa prévia de requisitos legais ou regulamentares aplicáveis às instalações, aos equipamentos e ao funcionamento das atividades económicas a exercer no estabelecimento.
Não é aplicável a questões relacionadas a condicionalismos legais relativos à segurança contra incêndios, saúde pública, gestão de resíduos e higiene dos géneros alimentícios.

_ Comunicação prévia com prazo - prestação de serviços de restauração ou de bebidas com carácter não sedentário
Este procedimento destina-se à prestação de serviços de restauração ou de bebidas com carácter não sedentário a realizar em:
    _ Unidades móveis ou amovíveis de acesso ao público, localizadas em espaço público ou privado;
    _ Instalações fixas nas quais ocorram menos de 10 eventos anuais;
    _ Unidades móveis ou amovíveis localizadas em feiras ou em espaços públicos autorizados para o exercício de venda         ambulante.

_ Comunicação prévia com prazo – Ocupação do espaço público
Quando não são cumpridos os requisitos legais aplicáveis, o procedimento aplicável é a Comunicação prévia com prazo e a instalação do equipamento deverá aguardar o despacho de deferimento da câmara municipal ou que decorra o prazo de 20 dias que dispõe para se pronunciar.

A colocação de publicidade está isenta de qualquer comunicação, desde que cumpridas as normas estabelecidas no Decreto-Lei n.º 48/2011 de 1 de Abril e no Código Regulamentar de Atividades Particulares e Espaço Público e Urbanização do Município.

O que não está sujeito ao Licenciamento Zero?

_ Empreendimentos turísticos;
_ Instalações desportivas (ginásios);
_ Equipamentos de ensino/estabelecimentos escolares;
_ Equipamentos hospitalares/unidades privadas de saúde;
_ Estabelecimentos de comércio a retalho e conjuntos comerciais, abrangidos pelo Decreto-Lei n.º 21/2009 de 19 de janeiro, cantinas, refeitórios e bares de entidades públicas, de empresas, de estabelecimentos de ensino e de associações sem fins lucrativos, destinados a fornecer serviços de alimentação e de bebidas exclusivamente ao respetivo pessoal, alunos e associados.

Nos termos da Portaria 138/2012 de 14 de Maio, os estabelecimentos de alojamento local estão sujeitos ao regime de mera comunicação prévia.

Qual a articulação com o RJUE?

Antes de efetuar a mera comunicação prévia ou comunicação prévia com prazo, o interessado deve:

_ Dar cumprimento ao Regime Jurídico de Urbanização e Edificação (RJUE);
_ Nos estabelecimentos de restauração e bebidas que disponham de salas de dança ou recinto de diversão provisório, dar cumprimento ao Decreto-Lei n.º 309/2002, de 16 de dezembro, alterado pelo Decreto-Lei n.º 268/2009, de 29 de setembro;
_ Assegurar que a utilização do edifício ou suas frações para efeitos de instalação de um estabelecimento seja compatível com o regime de utilização solicitado à câmara municipal.

Nota

Estas informações não dispensam a consulta da legislação aplicável.

Legislação

Autoriza o Governo a simplificar o regime de acesso e de exercício de diversas atividades económicas no âmbito da iniciativa «Licenciamento zero».
Lei n.º 49/2010 de 12 de Novembro

Simplifica o regime de exercício de diversas atividades económicas no âmbito da iniciativa «Licenciamento zero».
Decreto-Lei n.º 141/2012, de 11 de julho (1ª alteração ao Decreto-Lei n.º 48/2011, de 1 de abril)
Decreto-Lei n.º 48/2011, de 1 de abril

Identifica os elementos que as meras comunicações prévias e as comunicações prévias com prazo previstas no Decreto-Lei n.º 48/2011, de 1 de Abril, devem conter.
Portaria n.º 239/2011 de 21 de Junho

Estabelece os requisitos específicos relativos a instalações, funcionamento e regime de classificação aplicáveis aos estabelecimentos de restauração ou de bebidas.
Portaria n.º 215/2011, de 31 de maio

Requisitos mínimos a observar pelos estabelecimentos de alojamento local
Portaria n.º 517/2008, de 25 de junho

Código regulamentar de atividades particulares, espaço público e urbanização do município

Regulamento 278/2012, de 18 de julho de 2012

Contactos úteis

Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão

ASAE
Rua Gil Vicente nº30
4000-255 PORTO
T. 225 070 900
F. 225 070 928
Horário
Segunda-feira a Sexta-feira 09:00 às17:00
W. www.asae.pt
E. correio.asae@asae.pt