Juventude Festival de Cinema Jovem de Famalicão com inscrições abertas até 7 de outubroAtualidade Mercado Artesanal - Anima-te 2021Economia Aposta de crescimento da Pafil faz-se em FamalicãoEducação Biblioteca Municipal e Associação EDUPA criam parceriaEducação Secretário de Estado da Educação no Ciclo de Conferências de FamalicãoDesporto Piscinas Municipais retomam horários dos serviços de regime livre e escolas de nataçãoAmbiente Cortes no abastecimento de águaCultura e Turismo Famalicenses assistiram a mais de 50 horas de programação cultural online Economia Serviço de entrega de refeições representou volume de negócios de um milhão de eurosFreguesias União das freguesias de Seide em ritmo de obrasCultura e Turismo Famalicão dá pontapé de saída para a 7.ª edição do YmotionAmbiente Pateiras de Fradelos não avançam para Paisagem ProtegidaAtualidade Loja do Cidadão de Famalicão vai ser uma realidade Freguesias Zona central de Gavião ganha nova imagem com requalificação do adro da IgrejaEducação Universidade do Minho consolida-se em FamalicãoCultura e Turismo Miguel Araújo e Zé Amaro nas Antoninas possíveisEducação Conferência "Ensino Profissional: Uma Opção de Futuro"Cultura e Turismo Rojões são a iguaria eleita para os próximos Dias à MesaAtualidade Câmara de Famalicão abre candidaturas aos Selos Visão’25Cultura e Turismo O “Discurso Silencioso” de Jorge Pinheiro na Ala da FrenteCultura e Turismo Candidaturas ao Prémio de História Alberto Sampaio decorrem até 31 de maio
O SEU LUGAR

Residentes / Cultura
Prémios

Prémio de História Alberto Sampaio

A criação do Prémio de História Alberto Sampaio, impulsionada logo a seguir à evocação, pelos Municípios de Vila Nova de Famalicão e Guimarães, dos 150 anos do nascimento de Alberto Sampaio, correspondeu à consagração deste movimento cívico e cultural intermunicipal em torno desta personalidade de espírito universal, que modestamente se autodefinia como “provinciano minhoto cem por cento”.

O Prémio de História Alberto Sampaio nasceu, portanto, envolvendo os municípios de Guimarães e Vila Nova de Famalicão e, obviamente, a Sociedade Martins Sarmento, no seio da qual esta ilustre personalidade realizou uma parte muito importante dos seus estudos e atividade.

Em 1995, os Municípios de Vila Nova de Famalicão e Guimarães deliberaram, então, criar este importante galardão que tinha subjacente a ideia de juntar as terras e instituições por onde Alberto Sampaio repartiu a sua vida, e deixou marcas da sua atividade, associando-as no apoio e estímulo à investigação histórica, onde o próprio Alberto Sampaio se distinguiu e notabilizou.

Alberto Sampaio foi, indubitavelmente, um eminente historiador que, nascido em Guimarães e sepultado em Vila Nova de Famalicão, passou a sua vida entre estes dois concelhos minhotos, tendo organizado a I Exposição Industrial de Guimarães e sido sócio fundador da Sociedade Martins Sarmento e destacado colaborador da Revista de Guimarães da mesma Sociedade. Na sua casa de Boamense, em Vila Nova de Famalicão, estudou e escreveu a obra que nos legou, encontrando-se uma parte do seu rico espólio no Arquivo Municipal de Vila Nova de Famalicão.

Nesse mesmo ano de 1995, lança-se a 1.ª edição do prémio e desde de aí seguiram-se as edições, sempre bianuais, rotativamente organizadas pelas Câmaras Municipais de Vila Nova de Famalicão, Guimarães e também pela Sociedade Martins Sarmento, até ao ano 2008.

Sucede que, apesar da quantidade e qualidade dos trabalhos apresentados a concurso, o mesmo veio a ficar inativo desde o ano 2008, não tendo tido, desde essa data, mais nenhuma edição.

Ora, passados todos estes anos, e sendo 2016 um ano de importantes comemorações em torno dos 175 anos do nascimento de Alberto Sampaio, foi possível, numa nova congregação de esforços e vontades, considerar a reabilitação deste importante prémio.

Conscientes desta oportunidade para se rever toda a organização do prémio, nomeadamente ao nível das suas entidades instituidoras, foi contactado o Município de Braga, com o intuito de convidar a integrar a instituição deste prémio, uma vez que foi na cidade de Braga que Alberto Sampaio realizou os seus estudos preparatórios de admissão à universidade e, também, porque o Município de Braga prestou devida homenagem à personalidade de Alberto Sampaio, atribuindo o seu nome a um dos seus estabelecimentos de ensino, a Escola Secundária Alberto Sampaio.

Mais concretamente ao nível da direção cientifica do prémio foi, também, introduzida alteração, uma vez que, não existindo até agora esta figura, a mesma passa a ser da tutela da Academia das Ciências de Lisboa, distinta instituição académica, que pela sua experiência histórica e prestígio cultural e científico dispõe de capacidade e meios adequados para potenciar este prémio.

Por se revestir de uma justa homenagem a esta figura maior da História Económica e Social Portuguesa e por todas as razões aqui apresentadas, considerou-se de eminente pertinência a reabilitação do Prémio de História Alberto Sampaio.

Os concorrentes deverão preencher a ficha de inscrição, no Portal da Academia, e dirigir o seu requerimento à Academia das Ciências de Lisboa, com a declaração de que acatarão a deliberação do júri sobre a atribuição do prémio, contendo os respetivos elementos de identificação e juntando três exemplares do estudo.
Os estudos a concurso devem ser enviados até 31 de maio 2021.

Downloads

Documentos disponíveis para download em formato PDF.

Data Documento Tamanho Download
15/01/2020 Regulamento Prémio de História Alberto Sampaio 480 Kb
Download PDF
26/01/2016 Notas Biográficas de Alberto Sampaio 260 Kb
Download PDF

Prémios anteriores

2020 - Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão
Gentes do Norte pela própria voz. Arquivos de Família da Região de Guimarães - Porto, séculos XV-XVII”. Alice João Palma Borges Gago - Mestre em História Medieval pela Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa.



2016 - Sociedade Martins Sarmento
“Lavrar o mar: a dinâmica da produção do sal em Setúbal no contexto dos salgados portugueses. Dinâmica de uma afirmação internacional”. Ana Cláudia Silveira – Mestre em História Medieval na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa


2008 - Sociedade Martins Sarmento
“A Criminalidade em Lisboa entre meados do século XIX e o início do século XX”. Maria João Vaz – Lisboa: Tese de doutoramento em História Moderna e Contemporânea, Centro de Estudos de História Contemporânea Portuguesa do ISCTE, 2008


2006 - Câmara Municipal de Guimarães
“A Indústria de Moagem de Cereais: sua organização e reflexos políticos do seu desenvolvimento durante a I República: 1899- 1929”. Ana Paula Soares Pires - Lisboa: [s. n.]. Tese de Mestrado, História dos Séculos XIX e XX, Secção do Século XX, Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Universidade Nova de Lisboa. orientação Fernando Rosas, 2004.


2004 - Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão
“Abastecimento e Poder no salazarismo: O ‘Bacalhau Corporativo’ (1934-1976)”, Álvaro Francisco Rodrigues Garrido - Lisboa: Círculo de Leitores, 2004.


2001- Sociedade Martins Sarmento
Herança e Sucessão: leis, práticas e Costumes no Termo de Braga (séculos XVIII-XIX), Margarida Durães - Braga: [s. n.], 2000. Tese de doutoramento de História Moderna e Contemporânea do Instituto de Ciências Sociais da Univ. do Minho, 2001


1999 - Câmara Municipal de Guimarães
Prémio ex-aequo

Famílias, Formas de União e Reprodução Social no Noroeste Português (1700-1900), Ana Silva Volgi Scott - Guimarães: Universidade do Minho, 1999

Duas Vilas um só povo: estudo de história urbano (1258-1390)
Maria da Conceição Falcão Ferreira Guimarães - Braga: [s. n.], 1997. Tese de doutoramento História-Idade Média, Braga, Universidade do Minho, 1997.


1997 - Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão
Justiça e Criminalidade no Portugal Medievo (1458-1481), Luís Miguel Ribeiro de Oliveira Duarte - Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, Fundação Para a Ciência e Tecnologia, 1993.