Agenda Municipal / Teatro O Meu Amigo H.

Sex 10 e Sáb 11 Nov
Programa Casa das Artes


Casa das Artes | Grande auditório - 21h30

Entrada: 6 euros. Estudantes, Cartão Quadrilátero Cultural e Seniores (a partir de 65 anos): 3 euros | Classificação: M/16 | Duração: 120 min

Depois de ser eleito líder do país e ter neutralizado todas as forças que se lhe opunham, H. tem a possibilidade de aumentar ainda mais o seu poder: o atual Presidente está às portas da morte e, com o apoio das Forças Armadas, H. pode suceder-lhe. Mas dentro do Partido há quem veja as Forças Armadas como uma relíquia do passado: uma instituição reacionária, corrupta e anquilosada. O futuro do país para o capitão do exército de arruaceiros, o número dois do Partido, velho amigo de H., depende da força do seu exército pessoal e não das Forças Armadas. Na Noite das Facas Longas, o militar, o intelectual sindicalista e centenas de outros membros do Partido foram assassinados, o exército foi extinto e a situação controlada. O resto já sabemos ou já o esquecemos? A questão levantada por Mishima, sobre os corredores do poder, nesta peça tão calculista, pode hoje ser colocada desta forma: o que pode um Regime fazer quando aqueles de quem precisou, aqueles que manipularam as massas em seu favor, se tornam incómodos? O Regime não sobrevive sem a multidão, é certo, mas tem lugar para intermediários ou precisa de ser ele, no fim de contas, a controlá-la?

Ficha artística e técnica
A partir do texto de Yukio Mishima
Adaptação: Albano Jerónimo, Cláudia Lucas Chéu e Ricardo Braun
Dramaturgia: Ricardo Braun
Encenação: Albano Jerónimo e Cláudia Lucas Chéu 
Atores: Pedro Lacerda, Rodrigo Tomás, Ruben Gomes, Virgílio Castelo 
Espaço cénico: Albano Jerónimo
Figurinos: Nuno Esteves (Blue) e Albano Jerónimo
Desenho de luz: Rui Monteiro 
Música: Carincur
Vídeo: João Pedro Fonseca 
Comunicação: Sara Cavaco
Produção executiva: Luís Puto
Consultoria de produção: Francisco Leone
Coprodução: A Oficina/Centro Cultural Vila Flor, Teatro José Lúcio da Silva, Culturgest, Casa das Artes Vila Nova de Famalicão


1334 leituras