Município de Famalicão: Agenda Cultural http://www.famalicao.pt Últimos 10 eventos 15 asdad asdasd dasdad <![CDATA[Trio Meráki ]]> http://www.famalicao.pt/trio-meraki-2 Casa das Artes - Pequeno Auditório | 09h30 pm
Clarinet, cello and piano trio

Patrícia Sá Duarte (Clarinet), Lea Galasso (cello) e Dominic Chamot (piano)

The Trio Meraki was formed in 2017, following higher studies in classical music at the Musik-Akademie in the city of Basel, Switzerland, and it includes young musicians - Patrícia Sá Duarte (Portugal), Lea Galasso (Italy) and Dominic Chamot - (Germany).
The project aims to make known the work done by them as professional musicians in the field of chamber music, disseminating the classic repertoire written for trio of clarinet in concerts presented in their hometowns , seeking as wide an audience as possible, albeit in a warm and familiar environment.

Works to be presented: Trio of Clarinet in La Menor, Op.114, Johannes Brahms (1891) Trio of Clarinet in Mi bemol Maior, Op.38, Ludwig van Beethoven (1802).


Ticket: 10 €
Estudantes e Cartão Quadrilátero Cultural and Seniors from 65 years: 5 €

Classification M/6
Duration 75 min]]> </p><img src="http://www.famalicao.pt/op/image/?co=132237&h=e93d0" width="" height="" border="0"/>
<![CDATA["Desterrado" de António Olaio ]]> http://www.famalicao.pt/desterrado-de-antonio-olaio-2 Galeria Municipal Ala de Frente
Location: Palacete Barão da Trovisqueira - Rua Adriano Pinto Basto, nº 79 Vila Nova de Famalicão
Free entry

Opening HoursTuesday to Friday, from 10h am to 05h30 pm and weekends from 02h30 am às 05h30 pm

The Ala da Frente opens another exhibition this year 2020 with works by António Olaio. An exhibition entitled “Desterrado” and which continues the work developed by António Olaio in a reflection initiated in 2017.

A Performance presented on September 20, 2017 at the Soares dos Reis Museum in Porto, led Olaio to establish a relationship with the sculpture The "Desterrado do Soares dos Reis", where he appeared in a cutaway in opposition to the sculpture's nudity and in questioning the territories and relationships established in this environment with the works. At the Anozero'19 Bienal, in Coimbra (2 November to 29 December 2019), he continued his journey with the performance at the Soares dos Reis Museum with the presentation of an installation entitled Desterrado: Floating over my own ground where, in the same space , a painting and a video left us in an ambivalence of the image in motion with the image of the painting which, due to its verticality and elevated position, made us uneasy about our presence in that space. The senses tried to adjust, we were floating.

António Olaio has a degree in Painting, but his work has been guided by a comprehensive exploration of languages ​​and creative territories. Performance, music (in 1986 it forms and integrates the “Repórter Estrábico”) the video, the drawing, the painting allow it a range of means where it deepens reflections on the representation r its meaning in the art object. To expose different supports and languages ​​in the same space is to take the observer to adjust, to find solutions of potential balance, in response to the instigation of unrest that António Olaio launches. A provocation that fluctuates from fine lines and well expressed lines of force that transfer a uniqueness to the work developed by Olaio.

In this exhibition we have the presence of painting, video and drawing, in a possible balance that will lead us to question space and our presence in it, as well as our relationship with the understanding of art. Who watches whom? Who gets exiled?

Text: António Gonçalves
]]> </p><img src="http://www.famalicao.pt/op/image/?co=132229&h=e6f04" width="" height="" border="0"/>
<![CDATA["Desterrado" de António Olaio ]]> http://www.famalicao.pt/desterrado-de-antonio-olaio Galeria Municipal Ala de Frente
Palacete Barão da Trovisqueira - Rua Adriano Pinto Basto, nº 79 Vila Nova de Famalicão
Entrada livre

Horário: terça a sexta-feira, das 10h00 às 17h30 e aos fins-de-semana das 14h30 às 17h30.

A Ala da frente vem inaugurar mais uma exposição neste Ano de 2020 com obras de António Olaio. Uma exposição que se intitula “Desterrado”e que dá continuidade ao trabalho desenvolvido por António Olaio numa reflexão iniciada em 2017.

Uma Performance apresentada a 20 de Setembro de 2017 no Museu Soares dos Reis no Porto, levou Olaio a estabelecer uma relação com a escultura O Desterrado do Soares dos Reis, onde aparecia de fraque numa oposição à nudez da escultura e num questionar dos territórios e das relações que se estabelecem neste meio com as obras. Na Bienal Anozero’19, em Coimbra (2 Novembro a 29 Dezembro de 2019) veio dar seguimento ao percurso iniciado com a performance no Museu Soares dos Reis com a apresentação de uma instalação intitulada Desterrado: Floating over my own ground onde, num mesmo espaço, uma pintura e um vídeo deixavam-nos numa ambivalência da imagem em movimento com a imagem da pintura que pela sua verticalidade e posição elevada nos adensava a inquietação da nossa presença naquele espaço. Os sentidos procuravam ajustar-se, estávamos a flutuar.

António Olaio tem formação em Pintura, mas o seu trabalho vem-se pautando por uma abrangente exploração de linguagens e territórios criativos. Performance, a música (Em 1986 forma e integra os “Repórter Estrábico”) o vídeo, o desenho, a pintura permitem-lhe uma abrangência de meios onde vai aprofundando reflexões sobre a representação r o seu sentido no objecto de arte. Expor num mesmo espaço diferentes suportes e linguagens é levar o observador a ajustar-se, a encontrar soluções de potencial equilíbrio, em resposta á instigação de desassossego que António Olaio lança. Uma provocação que oscila de linhas ténues e linhas de força bem expressa que nos transferem uma unicidade ao trabalho desenvolvido por Olaio.

Nesta exposição temos a presença da pintura, do vídeo e do desenho, num possível equilíbrio que nos levará a questionar o espaço e a nossa presença nele, assim como a nossa relação com o entendimento da arte. Quem observa quem? Quem fica desterrado?

Texto: António Gonçalves

]]> </p><img src="http://www.famalicao.pt/op/image/?co=132215&h=54e52" width="" height="" border="0"/>
<![CDATA[Ângelo de Sousa: Quase Tudo o Que Sou Capaz da Coleção de Serralves ]]> http://www.famalicao.pt/angelo-de-sousa-quase-tudo-o-que-sou-capaz-da-colecao-de-serralves-2 Casa das Artes - Foyer

Ângelo de Sousa (Lourenço Marques, Mozambique, 1938-2011, Porto), in addition to being one of the most influential figures in Portuguese art of the second half of the 20th century, is one of the best represented artists in the Serralves Collection, with works carried out among the years 1961 and 2002, and which encompass all artistic means to which he dedicated himself during his prolific career: drawing, painting, sculpture, installation, film and photography.

"Ângelo de Sousa: Almost everything I am capable of" brings together a very considerable portion of these works - drawings, paintings and sculptures - with the aim of underlining the importance of contamination among those disciplines for the evolution of their artistic practice: by bringing together works by This exhibition combats the dominant image of the painter Ângelo, showing that drawing and sculpture are not only fundamental facets of his work, but also those in which the experimentalist spirit of his work is most evident.

Characterized by an apparent simplicity - the artist tries to obtain, in his words, "maximum effects with minimum resources, maximum effectiveness with minimum effort, and maximum presence with minimum screams" -, drawings, paintings and sculptures by Ângelo de Sousa do not illustrate concepts, they never start from ideas, but from the eagerness to do and think with their hands.]]> </p><img src="http://www.famalicao.pt/op/image/?co=132207&h=e14b6" width="" height="" border="0"/>
<![CDATA[Mês da Proteção Civil | Oficina: Incêndios e Acidentes ]]> http://www.famalicao.pt/mes-da-protecao-civil--oficina-incendios-e-acidentes
Temas:
- A intervenção em acidentes com matérias perigosas;
- Organização do teatro de operações;
- Articulação entre as diversas entidades num cenário envolvendo matérias perigosas.


Orador: Nuno Alexandre Machado Duarte, Formador da Escola Nacional de Bombeiros ]]> </p><img src="http://www.famalicao.pt/op/image/?co=132157&h=8f7c0" width="" height="" border="0"/>
<![CDATA[Mês da Protecão Civil | Oficina: Terrorismo ]]> http://www.famalicao.pt/mes-da-protecao-civil--oficina-terrorismo Casa das Artes - Pequeno Auditório | 18h00
Oradores: Policia Judiciária - Diretoria do Norte

Temas
Terrorismo: conceito legal nacional e internacional;
O papel desempenhado pela PJ na prevenção e investigação do terrorismo;
Os quatro pilares fundamentais no combate eficaz ao terrorismo: prevenção, proteção, perseguição e resposta.

]]> </p><img src="http://www.famalicao.pt/op/image/?co=132154&h=c7686" width="" height="" border="0"/>
<![CDATA[Last ]]> http://www.famalicao.pt/last Casa das Artes - Grande Auditório | 21h30
Companhia Paulo Ribeiro

“Colocar em paralelo a música e o corpo – com todo o seu movimento – torna difícil imaginar se será a dança a revelar as características intrínsecas da música, como se a traduzisse; ou a música que enaltece os movimentos do corpo e o dirige numa gestualidade musical. Tal como os antepassados acreditavam, a música torna os sentimentos visíveis, os movimentos reais: ouvimos a música, criamos a dança. Enaltecemos esta relação eterna e inevitável, mantendo a sua individualidade".
É assim que São Castro e António Cabrita começam por apresentar a sua última criação, "Last", a sua nova criação para a Companhia Paulo Ribeiro. A pouco tempo da celebração dos 250 anos do nascimento de Beethoven, "Last" parte de “The Late String Quartets” para dele fazer o principal condutor da coreografia. A poética e a ousadia do compositor alemão são a principal fonte de inspiração para São Castro e António Cabrita, que se deixaram influenciar pela complexidade da sua obra - ainda tão viva - para fazer nascer um trabalho totalmente dedicado à relação entre o corpo humano e a música. E para tornar essa relação ainda mais literal e presente, "Last" conta com a interpretação ao vivo do Quarteto de Cordas de Matosinhos. O Quarteto é um dos agrupamentos mais profícuos em Portugal, desenvolvendo um importante trabalho de preservação da herança musical portuguesa e europeia.

Composto por Vítor Vieira (1.º violino), Juan Carlos Maggiorani (2.º violino), Jorge Alves (viola) e Teresa Valente Pereira (violoncelo),

Entrada
Geral: 8 Eur
Estudantes, Cartão Quadrilátero e Seniores (a partir de 65 anos): 4 Eur

Classificação M/6
Duração 65 min

]]> </p><img src="http://www.famalicao.pt/op/image/?co=132131&h=82675" width="" height="" border="0"/>
<![CDATA[J’Accuse ]]> http://www.famalicao.pt/jaccuse Casa das Artes - Pequeno Auditório | 21h45
Cineclube de Joane

No dia 5 de Janeiro de 1895, o Capitão Alfred Dreyfus, um jovem soldado judeu, é acusado de espionagem para a Alemanha e condenado a prisão perpétua na ilha do Diabo. Entre as testemunhas está Georges Picquart, promovido para gerir a unidade militar de contraespionagem. Mas quando Picquart descobre que informações secretas continuam a ser fornecidas aos alemães, é arrastado para um labirinto de fraude e corrupção que ameaça não só a sua honra, mas também a sua vida. Polanski escreve na nota de intenções, provavelmente um dos maiores escândalos do século XIX, dividiu o país e continua a ser um símbolo do que as autoridades políticas são capazes de fazer em nome do interesse nacional. J´Accuse conquistou o Prémio do Júri no Festival de Veneza.

TÍtulo Original: J'accuse (2019, Fra/ItA)

Realização: Roman Polanski Interpretação Jean Dujardin, Louis Garrel, Emmanuelle Seigner

Entrada
Geral: 4€
Grátis para associados do Cineclube de Joane

Duração 130 min.
Classificação M/12

]]>
<![CDATA[Trio Meráki ]]> http://www.famalicao.pt/trio-meraki Casa das Artes - Pequeno Auditório | 21H30
Trio de clarinete, violoncelo e piano

Patrícia Sá Duarte (clarinete), Lea Galasso (Violoncelo) e Dominic Chamot (piano)

"O Trio Meraki foi formado em 2017, na sequência dos estudos superiores de música clássica na Musik-Akademie da cidade de Basileia, na Suíça, e dele fazem parte os jovens músicos - Patrícia Sá Duarte- Clarinete (Portugal), Lea Galasso- Violoncelo (Itália) e Dominic Chamot - Piano (Alemanha). O projeto passa por dar a conhecer o trabalho realizado pelos mesmos enquanto músicos profissionais no âmbito da música de câmara, divulgando o reportório clássico escrito para trio de clarinete em concertos apresentados nas suas cidades natais, procurando um público o mais vasto possível, ainda que num ambiente acolhedor e familiar. Obras a apresentar: Trio de Clarinete en Lá Menor, Op.114, Johannes Brahms (1891) Trio de Clarinete en Mi bemol Maior, Op.38, Ludwig van Beethoven (1802).

Entrada:
Geral: 10 eur
Estudantes e Cartão Quadrilátero Cultural e Seniores a partir de 65 anos: 5 Eur

Classificação M/6
Duração 75 min
]]> </p><img src="http://www.famalicao.pt/op/image/?co=132061&h=91c75" width="" height="" border="0"/>
<![CDATA[Entre a Flauta e a Viola, de Camilo Castelo Branco ]]> http://www.famalicao.pt/entre-a-flauta-e-a-viola-de-camilo-castelo-branco XIV Festival de Teatro Amador Terras de Camilo
Auditório do Centro de Estudos Camilianos | 21h30

A uma estalagem de Barcelos chega, numa noite Aniceto, com a sua bela filha Vitorina. Aniceto anda em fuga com a rapariga pois quer mantê-la afastada de um tocador de flauta que sabe ser seu pretendente.
O que ele não sabe é que atrás dela andam, não um, mas dois pretendentes – o tocador de flauta e um outro que toca viola. Aniceto pensa que está a salvo mas nessa noite a estalagem vai viver uma situação de peripécias cómicas e ninguém vai conseguir dormir.

Companhia Teatral: Grutaca, Grupo de Teatro Amador Camiliano | Seide S. Miguel - VNF

Classificação - M/6
Duração - 60 min.


Ficha Artística/Elenco
Aniceto – Francisco Cereja
Vitorina – Teresa Rocha
Guterres – Hélder Araújo
José Pimenta | Eduardo Almeida
Criado – Serafim Costa
Criada – Beatriz Ladeira
1.ª Velha – Bárbara Araújo
2.ª Velha – Cláudia Campos

Ficha Técnica
Encenação - Grutaca
Dramaturgia e guião - Camilo Castelo Branco
Cenografia - Grutaca
Guarda-roupa - Grutaca
Desenho de luz e som - António Alves /José Alves
Género - Comédia

Organização:
Município de Vila Nova de Famalicão/Divisão de Cultura e Turismo
Grutaca – Grupo de Teatro Amador Camiliano

Colaboração:

Casa de Camilo – Museu / Centro de Estudos Camilianos
Centro Social e Paroquial de Seide S. Miguel
Agrupamento de Escolas Camilo Castelo Branco

Apoios
União de Freguesias de Seide
Restaurante S. Miguel (Seide S. Miguel)
Restaurante O Toneco (Bente)
Café Snack-Bar Novo Milénio (Seide S. Paio)
Café Camiliano (Seide S. Miguel)
Café Popular, (Seide S. Miguel)
Cervejaria Avenida, (Santa Marinha – Landim)
EB1 e Jardim de Infância de Seide, Avidos e Lagoa e Landim


Contactos e Informações
Gabinete de Animação Sócio Cultural,
Telefone: 252 320 900

Grutaca, Grupo de Teatro Amador Camiliano
Telefone: 938 420 394

Entrada livre, mediante inscrição e até à lotação das salas.

]]> </p><img src="http://www.famalicao.pt/op/image/?co=132055&h=aa855" width="" height="" border="0"/>